Universidade do Minho  

             
 
  Autenticação/Login
 
homepage
mapa do site
informações
contactos
como chegar
email para webmaster
   
  imprimir
 
voltar 
  
Monástico-conventual
 

CÓDIGO DE REFERÊNCIA
PT/ADB/MON
TÍTULO
Fundos Monástico-Conventuais
ENTIDADE DETENTORA
Arquivo Distrital de Braga
DATAS EXTREMAS
1438-1916
NÍVEL DE DESCRIÇÃO
Grupo de arquivos
DIMENSÃO E SUPORTE
128 fundos; papel e pergaminho.
HISTÓRIA CUSTODIAL E ARQUIVÍSTICA
Em 1834 foi publicado o decreto que determinou a extinção das Ordens Religiosas, primeiro as masculinas e, depois, as femininas. No mesmo ano, formulou-se o regulamento de transferência dos bens destas ordens para a Fazenda Nacional. Por arrasto, também os seus cartórios foram nacionalizados pois neles se conservavam os títulos de posse e a documentação indispensável à administração dos referidos bens.
Estas transferências não foram, na maioria dos casos, bem sucedidas, o que acarretou perdas irremediáveis, nalguns casos totais, no recheio de muitos destes cartórios. Os relatos são vários e como principais causas apontam-se: o abandono a que muitos foram votados; os arrolamentos tardios; os incêndios; a apropriação por particulares; perdas durante o transporte. Nem os que se encontravam depositados nas Repartições de Fazenda do Distrito escaparam aos malefícios do abandono e dádivas abusivas.
Em 1917, com a criação do Arquivo Distrital de Braga, todos os documentos existentes nestas repartições foram transferidos para as suas instalações no edifício dos Congregados.
Em 1936, ocorreu uma nova transferência, agora para o Paço Arquiepiscopal de D. José de Bragança, actuais instalações deste Arquivo, onde foram colocados no chamado Salão Paroquial.
Em 1966, o Fr. José Mattoso procedeu ao inventário da documentação relativa aos mosteiros beneditinos. Em consequência, todos os outros documentos, pertencentes a outras ordens, foram apartados e levados para o extremo norte do Salão medieval Superior, onde permaneceram até 1983. Altura em que se decidiu dar continuidade ao trabalho desenvolvido pelo Fr. Mattoso. Para tal, foi determinante o trabalho conjunto de um arquivista e de um historiador. Este trabalho culminou com a publicação, em 1985, do Inventário do Fundo Monástico Conventual, pelo Arquivo Distrital de Braga, disponível para consulta na sala de leitura do Arquivo e para venda.
AMBITO E CONTEÚDO
Os conjuntos documentais que compõem este grupo de arquivos distribuem-se pelos seguintes domínios: escrituras de compra, arrendamentos, contratos; livros da Fazenda e bens; foros, medidas e pensões; letras pontifícias; demandas; visitações; tombos; obras; estados dos mosteiros; laudémios; sentenças; autos; inquirições de genere, vita at moribus; etc.
SISTEMA DE ORGANIZAÇÃO
Não tendo sido possível reconstituir a orgânica primitiva dos diferentes fundos, dado o estado caótico em que se encontravam e a ausência, na maioria dos casos, de inventários do seu recheio, os documentos foram organizados do seguinte modo:
- os livros aparecem em primeiro lugar, por ordem alfabética e cronológica, dentro de cada tema;
- os documentos avulsos vêm a seguir, classificados por assuntos/matérias, de acordo com uma grela definida caso a caso, ou mosteiro a mosteiro.
INSTRUMENTOS DE DESCRIÇÃO
ARAÚJO, António de Sousa; SILVA, Armando B. Malheiro da ? Inventário do Fundo Monástico-Conventual. Braga: Arquivo Distrital de Braga/Universidade do Minho, 1985.
Disponível para venda e consulta na Sala de Leitura.


Cadastro de Fundos

 

 
 
voltar 
 
  © 2019 Universidade do Minho  - Termos Legais  - actualizado por ADB Símbolo de Acessibilidade na Web D.